quarta-feira, 9 de setembro de 2009

.....Sabedoria ou falta dela.....

Sente. Sei que o sentes. Hoje todas as minhas palavras vão ser falsos murmúrios, falsos sussurros. Vais pensar que subi, mas não, desci, tropecei e cai rápido como uma flecha aos teus pés. Hoje sou como uma varina. Tento vender-te o peixe que supostamente não quero. Mas quero. O esforço de to vender é tal que o pescoço fica dormente. Ainda assim não o aceitas. Pelo menos, roubas-me um olhar. Um olhar com cheiro a mil hipocrisias. Mas eu faço o meu trabalho ainda assim.
O vaticínio é a minha divindade. Profecias não podem ser mudadas. São destino de alguém que nem imagina tampouco o que o espera. Ridículo. Eu sei o que me espera. Tu fazes questão de mo dizer todos os dias. Esventras-me, róis-me, torturas-me, rasgas-me, feres-me, degolas-me, e ainda te ris de seres sangue do meu sangue. Mas sabes, eu tenho aquilo que tu perdeste. Tenho a capacidade de Amar alguém que não devo e alguém que o merece. Engraçado que até tenho a capacidade de Amar quem no mundo me desenhou a lápis de carvão, com cheirinho a salsa e coentros untado com azeite e saboreado com alho. Depois veio o limão estragar tudo, pensaste tu. Só me deu mais sabor e me tornou bem mais apetecível. Sabes o que me tirava da Perfeição? Tu. Sempre me agarraste como se da tua vida se tratasse. Eu sou vida minha. Vida alheia e perdida longe de ti. Vida que se quer escapar de ti com asas feitas de nuvens e de ventos vindos de leste. Amas um ser mais que a ti própria e com razão admito. Mas…e a tua volta? Pois é…já reparaste? Tudo te fugiu do coração. Tudo o que achaste primordial desamarrou-se de ti e hoje foges á verdade que os teus olhos espelham mas não vêm. Estás cega pelo teu mundo virtual, pela tua dimensão exterior, pelo teu ideal de doutrina perfeita, e queres cegar. Hoje estou inconsolável. Tenho mais pena de ti que de mim. Só és assim porque a felicidade mudou de conceito para ti, e o Amor que sempre quiseste era um cavalo de Tróia recheado de titãs em busca de guerra, e poderio. Eu quero autarcia em mim, quero ficar longe e perto. Quero ser pai, mãe, filho, avô e avó. Quero recuperar as forças que levei 18 anos a destruir até hoje. Se me leres aqui nestas palavras, esquece. Não leste. Este não sou eu. Sou o espectro que criaste e pintaste a vapor negro. Sou a aberração que aperfeiçoas todos os dias. Só estou aqui para te dizer uma coisa…profecias dita-as Deus. E tu nem as podes recitar. Prelúdios dito-os eu. Histórias contam-me os teus olhos. Choras lágrimas de sangue ás quais eu dou valor, mas eu choro água. Choro pureza. Choro cansaço e desilusão por mim e por ti. Só queria que fosses feliz. Só queria que o teu diário aos 17 anos tivesse sido de uma menina da tua idade. Assim deixavas-me viver em tempos hodiernos, e assim não perdias o sentido da vida em busca da felicidade conjugal. Infelizmente há mães que são meias mães, meias progenitoras. Só queria que entendesses este texto. Mas não entendes.

14 comentários:

Anónimo disse...

As palvras ditas como escape ao sofrimento, aquela desilusão que nos mata por dentro, tornado nos mais fortes, frios, nus e crus por fora...
Um dia alguem me disse, pensa com o coraçao e sente com a mente...existem mentes que nunca pensaram em chegar ao coração, são mentes oprimidas pela infelicidade incutida dentro da felicidade aparente.
Momentos em que o passado se conjuga com o presente, num preterito imperfeito de cada vida, de cada ser...ligações dos eternos passados em que os futuros presentes nao conseguem apagar da memoria a terrivel perda de uma vida, a terrivel perda dos sonhos.
Sim sei o que sentes, sim sei que doi, mas sei ainda mais que um coração sofrido pode ser o mais cruel dos sentimentos para quem apenas só queria ser feliz...para isso digo o fruto sera sempre melhor do que a arvore que o dá...

Adocica te ao sabor do vento, cresce ao bater da chuva, sonha ao sabor do mar, mas sobretudo vive ao sabor do sol, pois a luz que este te dá, mostrará aquilo que te quer, aquilo que te deseja, aquilo que te espera...

Porque sabes quem sou, como sou e o tens de mim...ESTOU AQUI SEMPRE!

***N***

Mara disse...

És brilhante. As tuas comparações com todo esse vocabulário deliciam-me.
Espero que essa nuvem negra se afaste da tua cabeça.
Ninguém devia sentir-se assim.

beijinho Diogo

Bia disse...

texto e musica exageradamente fantasticos, só!

mary ♥ disse...

que texto *.* está definitivamente perfeito . adorei .

Autora disse...

Este texto fez-me recordar algo... Um momento em que percebi que o "mais que perfeito" existe :)

Tu és enorme!

Claudisabel disse...

"Tenho a capacidade de Amar alguém que não devo e alguém que o merece. Engraçado que até tenho a capacidade de Amar quem no mundo me desenhou a lápis de carvão, com cheirinho a salsa e coentros untado com azeite e saboreado com alho. Depois veio o limão estragar tudo, pensaste tu. Só me deu mais sabor e me tornou bem mais apetecível. Sabes o que me tirava da Perfeição? Tu. Sempre me agarraste como se da tua vida se tratasse. Eu sou vida minha. Vida alheia e perdida longe de ti. Vida que se quer escapar de ti com asas feitas de nuvens e de ventos vindos de leste. Amas um ser mais que a ti própria e com razão admito."

Fiquei presa em todo o texto, não só porque o compreendi mas também porque me vi aí nalguns momentos, salientei este excerto porque tenho reflectido sobre esta questão de Amar tanto o outro que nos esquecemos de nós mesmos. Será justo? Será errado?? Será simplesmente assim??
Não creio...

Podíamos os dois discutir imenso este texto, eu poderia aqui dissertar sobre ele, mas não, este vem tão de dentro que eu não julgo, não opino, não digo,

Li, senti e guardei, o resto é contigo, Tu decides :)


beijinhu

PS. obrigado por teres lido o meu esboço romanceiro e ainda bem que gostaste de ler, um dia prometo dar-te algo melhor para as mãos :)

mary ♥ disse...

isso não é verdade xD

mary ♥ disse...

Oh obrigada (:

Bia disse...

não me canso de te ler. leio-te vezes consecutivas. é fantastica a tua escrita! vê la se comecas a escrever com mais frequencia =)

catarina santos disse...

vou por restriçao no blog, dá-me o teu mail para o conseguires ler (Se quiseres, claro) (: *

Ana Moreira disse...

Diogo, admiro-te. Sem querer inferiorizar algum sexo, és tu a minha crença de que há homens com menos de 30 anos com sensibilidade suficiente para escrever.
És brilhante, parabéns *

Nya disse...

Perante tantos elogios, penso que saberás que a tua inspiração espera por sair...ser posta em palavras...pois cada momento k a desperdiças ela tenderá a ficar eskecida...quero ler mais do que sentes, mais do que te inspira, mas do que és...Mas afinal que sou eu se não uma mera passageira pelo mundo emocionante da reflexão cognitiva das palavras...

Sente, escreve...mas sobretudo escreve o que sentes, sentindo o que escreves!

Patrícia Santos disse...

"Choro cansaço e desilusão por mim e por ti. Só queria que fosses feliz." adorei mesmo (:
beijinho

Anónimo disse...

Marina****
APARECESTE na minha vida como uma lufada de ar fresco ...
Mostraste-me como és e o que és apesar de ter sido da maneira que foi .Mesmo assim adoro a tua compainha faz-me muito
bem ...
Em seguida mostrasterdadeira arte -me a tua verdadeira arte para escrever... É FANTÁSTICO A MANEIRA COMO ESCREVES.. a capacidade de transmitires todas emoções e momentos que de uma certa forma foram especiais para ti ...A capacidade de pores as pessoas a snhar e a recordar momentos bons da vida delas ..
Só tenho agradecer-te por tudo isto e por me imaginar coisas lindas...AFINAL o que é a vida sem sonho?!
Beijinhossssss